Parabenos podem causar doenças e destruir fibras de colágeno da pele

Uma rotina de beleza comum inclui, segundo pesquisa  do Environmental Working Group (EWG),  em média dez produtos. Desses, a maioria está cheia de ativos nocivos à saúde e ao meio ambiente.

E dentre os ativos da lista tóxica da rotina de beleza, os parabenos são os mais populares, estando presente em aproximadamente 75% dos cosméticos! Se, em média, uma pessoa usa até dez produtos de  higiene pessoal por vez, imagine a quantidade de parabenos em um ano!

Parabenos – o que são

Os parabenos,  de acordo com o Food and Drugs Administration (FDA), são um grupo de conservantes mais usados no mundo que atuam diretamente na conservação das fórmulas, evitando a proliferação de microrganismos, como bactérias nocivas e mofo, e aumentando o prazo de validade do produtos. Função importante, certo?

Alerta vermelho

Foi no começo dos anos 2000 que os parabenos começaram a virar alvo de pesquisas e, muitas, delas, passaram a associá-los a doenças. Na Europa este grupo de ingredientes está proibidíssimo em formulas indicadas para crianças de até três anos de idade. É que os parabenos compões um dos grupos mais populares disruptores endócrinos, um tipo de molécula que não ocorre de forma natural no organismo e que pode alterar o equilíbrio hormonal.

Eliminamos boa parte deles na urina, mas não completamente – Patricia Silveira, dermatologista

Segundo evidências científicas, os parabenos se mostraram bioacumulativos ao longo dos anos e têm sido identificados isolados em tecido mamário, tecido de câncer de mama, sangue… Além disso, irritações e alergias podem ter relação direta com o uso deles, conforme indicam estudos recentes  da Universidade de Reading (Inglaterra).

Na pele // E os efeitos colaterais não estão apenas ligados a doenças, mas também a aparência da pele. Novos artigos científicos já estão apontando que os parabenos destroem fibras de colágeno. Não é contraditório para produtos que prometem melhorar a aparência da pele?!

Mas porque ainda é utilizado? Porque, segundo especialistas, é um conservante barato.  E a grande indústria quer lucrar, certo?!

Há muita gente que argumenta que usa itens com parabenos e nada lhes acontece. Afinal, “até a Anvisa liberou”.  Será?! Os estudos estão mostrando o contrário

Onde estão os parabenos

Hidratantes, desodorantes, óleos corporais (não naturais), itens de cabelo, loções de barbear, cosméticos faciais e loções infantis.

Aliás, “as crianças brasileiras estão expostas a níveis altos de parabenos e benzofenonas, duas classes de disruptores endócrinos (um tipo de molécula que não ocorre de forma natural no organismo e que pode alterar o equilíbrio hormonal) presentes em cosméticos e produtos de cuidado pessoal”. Esta é a principal conclusão de um estudo publicado na revista Environmental International, realizado por pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP em colaboração com pesquisadores norte-americanos.

Como identificar os parabenos

Acompanhe a série de postagens em nosso perfil do Instagram


Os mais comuns podem ser identificados nos rótulos dos produtos como:

metilparabeno, propilparabeno, butilparabeno e etilparabeno.

E atenção: os três primeiros três itens listados nos rótulos são os que estão em maior quantidade na fórmula do produto.

Para saber mais sobre ativos comuns nos cosméticos e itens de higiene pessoal, e considerados tóxicos, acompanhe a nossa série #belezalimpa e #listatóxicadabeleza, assinada pela fundadora do a Naturalíssima, a jornalista e consultora de desenvolvimento sustentável Marcela Rodrigues, e pela dermatologista Patricia Silveira, especialista em dermatologia natural. Baseados em pesquisas e estudos, os posts são publicados a cada dez dias nos perfis no Instagram @anaturalissima e @dermagreen.

Para identificar um cosmético natural, orgânico e vegano, acesse o nosso guia.

#Opinião #listatóxicadabeleza #Reflexão #ingredientes #Belezalimpa #Saúde #belezatóxica #Cosméticos #pele