Como fazer a transição do shampoo convencional para o natural




É muito comum que quando uma pessoa comece a usar produtos capilares naturais ela sinta  a sensação de “cabelo pesado”, que não limpou direito. E ainda costumam atribuir isso às fórmulas limpas. Mas a questão é que, além do estranhamento pela novidade de um sensorial diferente, há também um tempo para o cabelo se acostumar às formulações naturais, a uma lógica diferentes de aplicação, entre outras dicas que fazem a diferença. Dicas simples, mas que facilitam a transição e evitam expectativas irreais.


Se você vai começar a usar shampoos naturais e\ou está com receio, ou se já começou e percebe que não é só trocar e fica tudo igual, este míni guia é para você. Mas também é interessante até para quem já usa há muito tempo, mas sente que o cabelo precisa de um recomeço de rotina de vez em quando.


Sete dicas para usar shampoos naturais


Detox capilar com bicarbonato, água e um único óleo essencial! (foto: a Naturalíssima)


1- Não compare a ação deles


Digo isso pois as eficácias são diferentes. Os shampoos convencionais costumam ter, além de parabenos, derivados de petróleo e silicones pesados,  sulfatos que limpam de maneira agressiva, ressecando e desvitalizando os fios. Como passar do tempo, você sente a necessidade de trocar de produto pois os componentes não são compatíveis com as fibras do cabelo e se acumulam na sua superfície, tornando o cabelo pesado, sem brilho.


Já os shampoos naturais fazem pouca espuma, mas tratam o cabelo de dentro para fora, devagar e sempre. Seus extratos, óleos e manteigas são compatíveis com os fios e por isto não se acumulam neles, mas limpam protegendo, tratando e equilibrando o couro cabeludo.


2- Entenda os ingredientes


O primeiro passo é procurar fórmulas livres dos principais suspeitos de serem tóxicos para a saúde humana ou o meio ambiente. Um tensoativo bem comum usado pela indústria convencional é o Lauril sulfato de sódio – responsável pela espuma abundante dos produtos convencionais. Embora seu risco para a saúde seja leve, sendo associado apenas a sensibilidade, ao meio ambiente ele provoca danos. Sua presença aumenta a solubilidade de compostos orgânicos e a espuma formada na superfície diminui a entrada de luz solar, prejudicando os microorganismo e a vida marinha.


Vale ficar de olho também em derivados de petróleo, parabenos e fragrâncias sintéticas. Mas dá para ir além e procurar marcas conscientes que, além serem limpas, sem estas substâncias, ainda investem em óleos vegetais, manteigas e óleos essenciais.


3 – Antes de começar, faça um detox


Nem sempre os shampoos mais naturais tem o poder de limpar resíduos de petrolatos, entre outros ingredientes nocivos  deixados pelos cosméticos convencionais que usamos por tanto tempo. Esses componentes não possuem nenhum fator hidratante, tampouco nutritivo. Resultado: uma pessoa começa a usar um shampoo de fórmula limpa e tem a sensação de que não limpou direito, ou o fio ficou “pesado”.


Já aconteceu com você? Então, pode  ser que os cabelos precisem de um detox para se livrar desses resíduos…O ritual, recomendado por Henrique Ribeiro, especialista em fórmulas capilares botânicas e fundador do Natural do Barbosa, só inclui dois ingredientes: bicarbonato de sódio e água.


Basicamente, faça assim: em um recipiente misture 3 colheres (chá) de bicarbonato de sódio com 100ml de água filtrada e 2 gotas de *óleo essencial de alecrim ou melaleuca (se não tiver, não tem problema – faz sem). Aplique nas raízes fazendo movimentos circulares por toda a cabeça. Continue a aplicação na extensão dos fios até as pontas (sem esfregar o cabelo um no outro). Depois de uma pausa de um a dois minutos, no máximo, enxágue bem até não restar resíduo. Pronto, pode caprichar nos seus shampoos e condicionadores clean beauty!


4- Qual tipo de shampoo natural é melhor? Líquido, sólido, caseiro


Depende do seu tipo de cabelo, do seu contexto e necessidade. Hoje já temos ótimas formulas em ambas as versões. O sucesso na transição também inclui você escolher uma fórmula sujos ingredientes tenham mais sintonia com o estado atual do seu cabelo (mais seco, oleoso…). Soluções caseiras podem até funcionar, mas lembre-se que uma limpeza mais profunda pede fórmulas mais potentes.


Na minha experiência pessoal entendi que não ficar presa a um único tipo é a melhor opção. Então costumo alternar shampoos líquidos com  os sólidos, entre uma receita caseira e outra.


5 -Shampoo natural líquido: como usar


Segundo Henrique Ribeiro, a primeira aplicação do shampoo, em geral, não será suficiente para remover a sujeira e oleosidade + resíduos do cabelo. “É como lavar louça, por mais que você tenha usado uma quantidade grande de detergente, nem sempre a sujeira será removida por completo e é necessário lavar mais uma vez para que a limpeza seja eficaz”, explica. O segredo não está na quantidade, pelo contrário: menos é mais.


Segundo o profissional, o ideal é que você aplique uma pequena quantidade na palma das mãos, como a forma de uma moeda de R$ 50 centavos — distribua na duas mãos para espalhar o produto, leve até a cabeça e inicie o processo de limpeza esfregando com a ponta dos dedos o couro cabeludo.


6 – Shampoo sólido funciona?


Sim, funciona. Mas é importante você escolher fórmulas cujos ingredientes sejam compatíveis com o seu tipo de cabelo. E não basta sair esfregando a barra diretamente na cabeça, como se estivesse passando sabonete no corpo. Siga este tutorial à la Natural do Barbosa:


Trace uma linha imaginária de orelha a orelha e centro da nuca até o ponto mais alto da cabeça. À partir dessa divisão, distribua de forma uniforme o produto uma parte por vez – nas têmporas até o topo da cabeça, nuca (lado direito e esquerdo) até o topo novamente. Com a ponta dos dedos, esfregue o couro cabeludo em cada seção até sentir que o produto foi bem distribuído. Se dedique em esfregar somente a raiz e conforme for escorrendo pelo cabelo, amasse-o em direção ao topo da cabeça e com delicadeza — não esfregue os fios uns nos outros, assim como fazemos quando estamos lavando roupa.


“Se fizer com muita violência você pode romper as fibras, deixando os fios com pontas bifurcadas (pontas duplas), ásperos e quebradiços”, explica. Repita esse processo quantas vezes você achar necessário ou até que você sinta seus cabelos limpos.


7 – Cuide do couro cabeludo

Extensão da nossa pele, o couro cabeludo também pede atenção. É este cuidado que vai fazer com que ele não acumule resíduos e provoque coceira. De tempos em tempos, ou sempre que sentir necessidade, faça um detox do couro cabeludo com argila verde (para os muitos oleosos) ou branca (para os sensíveis), como este que compartilhei aqui.


*a Naturalíssima é uma plataforma de conteúdo independente sobre consumo consciente, beleza limpa e autocuidado. Uma forma de apoiar nosso trabalho é compartilhando pelas suas redes, grupos e afins.